05 janeiro 2009

Descobrimento


Dos meus pés, até ali, uma réstia do meu corpo nu sobre a cama e um olhar à espreita. Ele me vem como sobrepeso, encaixa e m'olha a nuca com sua boca de veneta. Sinto uma fresca atravessar os poros do lençol. Meu dorso inteiro é alvo, meu branco é mirado pelos olhares-tiro. Tiraram minha roupa de pele humana fora. Agora brilho totalmente descoberta.

3 comentários:

Tarco Lemos disse...

pô pal pelada
depalperada
papelada
pal lada
lap dala

Paola Benevides disse...

DA DA
TARCO
ÍSMO

Marcelo & Denise disse...

brilha brilha estrelinha.
(entrelinha)