19 fevereiro 2010

dizeres


"Então, como o clichê consegue transmitir coisas importantes, intensas e originais? O clichê não impede que a expressão seja sincera. É quase como ouvir alguém falando português errado: você associa isso com burrice, e não com ignorância da língua. E o clichê também tem isso: a pessoa pode usá-lo de maneira que revele algo original e não escamoteie um senso comum, uma ausência de sentimento sincero."

"Penso que um escritor já nasça com caminhos definidos para a invenção ou às invencionices de toda uma vida... Escrever, para mim, é como um selo ao qual você estará atado desde o princípio, nem sempre por escolha. Muitas vezes, também, por destino, fatalidade, condenação."

Wilson Bueno, escritor

3 comentários:

Paola Benevides disse...

Concordo e acordo para dentro com isso. O clichê deixa de ser clichê por tanto evite, passa a ser recurso criativo do simples dizer e do prático transmitir. E ser escritor pode vingar em sorte boa ou em boa morte. Tudo corrói.

Tarco Lemos disse...

Hum, é
cedo ou tarde -
tarde,
?e com o nada

Tarco Lemos disse...

Hum, é
cedo ou tarde -
tarde,
?e com o nada